Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
PI 064
Open Access
PREVALÊNCIA DO CORONAVÍRUS 2 DA SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SARS-COV-2) EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO MUNÍCIPIO DE CAMETÁ, PARÁ
Visits
...
Keise Adrielle Santos Pereira, Wandrey Roberto dos Santos Brito, Felipe Teixeira Lopes, Aline Cecy Rocha de Lima, Carlos Neandro Cordeiro Lima, Iury de Paula Souza, Onayane dos Santos Oliveira, Andrea Nazaré Monteiro Rangel da Silva, João Farias Guerreiro, Antonio Carlos Rosário Vallinoto, Rosimar Neris Martins Feitosa
Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil
Article information
Introdução

No contexto da pandemia declarada em 2020 pela Organização Mundial da Saúde, o primeiro caso de COVID-19, doença respiratória aguda causada pelo SARS-CoV-2, foi confirmado no Estado do Pará em 18 de março de 2020. Ainda não há informações consistentes da prevalência dessa infecção em quilombos localizados no Pará, o que mascara a real situação epidemiológica dessas comunidades.

Objetivo

Descrever a prevalência do SARS-CoV-2 em comunidades quilombolas do município de Cametá, Pará. Métodos: Foi realizado um estudo de corte transversal, em abril de 2021, com amostragem de 140 indivíduos pertencentes a cinco comunidades: Arimandeua (n = 33), Aripijó (n = 26), Bacuri (n = 10), Cabanagem (n = 13) e São Benedito (n = 58). Dados demográficos e sociais foram obtidos por meio de um questionário epidemiológico. Amostras de sangue total (5 mL) foram coletadas por um sistema de colheita a vácuo em tubos contendo EDTA e foram separadas em plasma para a realização de ensaios de imunoabsorção enzimática - ELISA (EUROIMMUN, US) para a detecção de anticorpos IgG anti-SARS-CoV-2.

Resultados

Do número total de participantes, 67,1% eram do sexo feminino e 32,9% eram do sexo masculino, com média de idade de 38 anos e 52,1% testaram reagentes para IgG anti-SARS-CoV-2. Dentre os indivíduos soropositivos para o vírus, houve predomínio da faixa etária de 30 a 59 anos (35,6%), estado civil solteiro (52,1%) e renda familiar inferior a um salário mínimo (45,2%).

Conclusão

Foi observada uma elevada prevalência do SARS-CoV-2 nas comunidades quilombolas localizadas no munícipio de Cametá, o que ressalta a importância da vigilância soroepidemiológica em populações com elevado grau de vulnerabilidade e convivência estreita.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools