Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
EP 045
Open Access
ANÁLISE ECONÔMICA DA INCORPORAÇÃO DO TESTE RÁPIDO DE ANTÍGENO PARA COVID-19 VERSUS RT-PCR COMO ESTRATÉGIA DE DIAGNÓSTICO DE PACIENTES SINTOMÁTICOS NO PRONTO ATENDIMENTO DE UMA OPERADORA DE SAÚDE DO BRASIL
Visits
...
Evaldo Stanislau Affonso de Araújoa, José Renato Condursib, Letícia Paula Leonart Garmatterc
a Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brasil
b Unimed Santos, Santos, SP, Brasil
c TechValue - Tecnologia & Valor em Saúde, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Introdução

A facilidade de uso e o tempo de resposta rápido dos testes de antígenos oferecem o potencial da sua realização de forma descentralizada e a expansão do acesso ao diagnóstico, possibilitando a interrupção da transmissão por meio do rápido isolamento de casos atuando como uma estratégia de contenção da COVID-19. Objetivo Avaliar a custo-efetividade do teste rápido de antígeno (TR) no diagnóstico de COVID-19 versus RT-PCR por simulação computacional, na perspectiva de uma operadora de saúde.

Métodos

O modelo foi populado em uma coorte retrospectiva de jan a ago de 2021 de 38.000 pacientes com sintomas sugestivos de COVID-19 atendidos para realização de diagnóstico. Avaliou-se duas estratégias: uso do RT-PCR ou teste de antígeno. Enquanto aguardam o resultado do RT-PCR (média de 2 dias) os pacientes permanecem sem isolamento. Dados de performance dos testes foram obtidos da literatura. Considerou-se a prevalência regional de infecção de 6% e que novos casos ocorridos no período teriam 19% de probabilidade de hospitalização, com custo médio de R$ 45.000, e destes, 38% evoluiriam a óbito, segundo dados publicados. Avaliou-se dois cenários de taxa de transmissão (Rt), 1,2 e 1,6. O custo dos testes foi de R$35 para o TR e R$140 para o RT-PCR. Os desfechos avaliados foram: Pessoas com COVID-19 sem isolamento após o teste; Dias com COVID-19 sem isolamento; Novos casos de COVID-19; Hospitalizações por COVID-19; Mortes por COVID-19; Custo por paciente e as razões de custo-efetividade incrementais para custo por novo caso evitado, custo por hospitalização evitada e custo por morte evitada.

Resultados

Em ambos os cenários de Rt a estratégia de diagnóstico com o TR foi dominante versus o RT-PCR, com redução no custo total por paciente de R$ 646 e R$ 827 (Rt 1,2 e 1,6, respectivamente) e redução dos desfechos clínicos indesejados avaliados. Considerando 38.000 testes de antígenos realizados, a economia total variou de R$ 24.5 MM a R$ 31.4 MM e foram evitados 2406 a 3208 novos casos de COVID-19, 457 a 609 internações e 172 a 230 óbitos, com Rt de 1,2 e 1,6 respectivamente.

Conclusão

A estratégia de diagnóstico de pacientes sintomáticos com TR foi dominante versus RT-PCR, com redução de custos e melhora nos desfechos epidemiológicos e clínicos. Por ser um teste rápido, auxilia na tomada de decisão do manejo de pacientes, como o isolamento e o informe de contatos próximos, implicando em melhor gestão da doença e redução de custos totais.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools