Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
ÁREA: INFECÇÕES VIRAIS (TODOS OS VÍRUS, EXCETO HIV/AIDS E HEPATITES)PI 270
Open Access
ATIVIDADE ANTIVIRAL DE EXTRATO HIDROALCOÓLICO DE UNCARIA TOMENTOSA EM MODELOS DE INFECÇÃO IN VITRO PELO VIRUS CHIKUNGUNYA
Visits
...
Raquel Curtinhas de Limaa, Priscila Conrado Guerra Nunesa, Ligia Maria Marino Valenteb, Elzinandes Leal de Azeredoa
a Fiocruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
b Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information

A chikungunya é uma doença febril aguda, causada pelo vírus chikungunya (CHIKV), associada a intensa artralgia e, em alguns casos, pode evoluir para fase crônica e se estender por anos, afetando a qualidade de vida da população. Os pacientes também podem apresentar complicações neurológicas, cardíacas e renais. Apesar de ser um problema de saúde pública ainda não há vacinas nem tratamento antiviral contra o vírus. A busca por terapias alternativas, como as plantas medicinais, apresenta-se viável e promissora por ser baseada no conhecimento popular adquirido empiricamente, e o território brasileiro dispõe de ampla diversidade de plantas a serem estudadas como um tratamento alternativo para chikungunya. A espécie Uncaria tomentosa (Ut) é empregada pela medicina tradicional no tratamento de doenças inflamatórias, degenerativas e infecções virais. Nosso objetivo foi investigar o efeito antiviral do extrato hidroalcoólico do galho da Ut em modelos de infecção in vitro por CHIKV. Foram utilizadas no modelo de infecção in vitro pelo CHIKV as linhagens celulares Vero (rim de macaco verde africano) e HuH-7 (hepatocarcinoma humano), e monócitos humanos de doadores saudáveis. As concentrações selecionadas, que mantiveram viabilidade maior que 80% ao longo de 72h de incubação, foram 100 μg/mL e 50 μg/mL. A infecção foi avaliada através da quantificação da carga viral presente no sobrenadante pela RT-qPCR e marcação intracelular do antígeno viral por citometria de fluxo. O tratamento das células Vero infectadas pelo CHIKV na concentração de 100 μg/mL reduziu o efeito citopático e o número de cópias de RNA de CHIKV. Ademais, células HuH-7 infectadas pelo CHIKV e tratadas por 72h com 100 μg/mL do extrato, apresentaram redução no número de cópias do RNA viral presente no sobrenadante (17%). Além disso, monócitos humanos infectados pelo CHIKV e tratados com 100 μg/mL também apresentaram redução no número de cópias do RNA durante 48h (*P=0,0310) e 72h (*P=0,0391) de infecção e tratamento. Através da técnica de citometria de fluxo, observou-se que monócitos infectados e tratados com 50 μg/mL e 100 μg/mL apresentaram diminuição na frequência de células positivas para CHIKV, com redução de 49 e 41%, respectivamente, de células infectadas, sugerindo atividade antiviral do extrato de Ut. Nossos resultados indicaram atividade antiviral da Ut frente à infecção in vitro por CHIKV, ressaltando a importância de estudos com produtos naturais nas arboviroses de importância médica.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools