Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 64-65 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 64-65 (December 2018)
EP‐059
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.121
Open Access
BACTEREMIA EM DOADORES DE ÓRGÃOS SÓLIDOS: ASPECTOS CLÍNICOS, EPIDEMIOLÓGICOS E ETIOLOGIA EM UM CENTRO DE TRANSPLANTES
Visits
...
Carolina Chen, Andrea Sevegnani, Pamella Pedroso, Sarah Hui, Carolina Bittante, Marinês Martino, Luis Camargo
Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Data: 18/10/2018 ‐ Sala: TV 3 ‐ Horário: 13:58‐14:03 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: Infecções transmitidas pelo enxerto ocorrem precocemente e estão associadas a considerável morbidade e mortalidade. A transmissão de infecções bacterianas através de doadores bacterêmicos é documentada e pode levar a infecções graves e redução de sobrevida do enxerto no transplante hepático.

Objetivo: Conhecer a frequência de bacteremia entre doadores de órgãos para transplante para propor medidas preventivas tanto para doadores como para receptores de transplantes, reduzir a rejeição de órgãos e o impacto clínico em receptores de doadores bacterêmicos.

Metodologia: Entre 2013 e 2017, todos os doadores de transplantes para o programa de transplante hepático do Hospital Municipal Vila Santa Catarina/Hospital Israelita Albert Einstein foram avaliados com relação à presença de bacteremia. As amostras foram coletadas de maneira estéril, durante a retirada do enxerto hepático e diretamente da veia cava inferior. As amostras foram inoculadas nos frascos Bactec™ Plus Aerobic/F e Bactec™ Plus Anaerobic/F e incubadas no sistema automatizado BD Bactec™ FX. A identificação dos isolados foi feita com o Maldi‐TOF. Para detecção do perfil de susceptibilidade foram usados métodos automatizados (Vitek system) e manuais (microdiluição em caldo, disco‐difusão e difusão por gradiente de concentração) de acordo com a espécie.

Resultado: Dos 355 doadores, 149 (41.97%) eram do sexo feminino, 122 (34,37%) tiveram traumatismo craniano como causa da morte, a média de idade foi de 43,9 (± 15,5) anos, a média de dias na UTI foi de 5,5 (± 5,6) dias, a mediana do número de leucócitos foi de 15.000; 62 pacientes (17,5%) tinham hemoculturas positivas com 71 bactérias isoladas. Entre os agentes isolados, 44 (62%) eram gram‐positivos, 24 (34%) eram gram‐negativos e três (4%) eram fungos. Staphylococcus coagulase negativa (27), Klebsiella sp (seis), S. aureus (cinco) e Enterococcus sp (cinco) foram os agentes mais isolados. Todos os isolados de S. aureus eram sensíveis a oxacilina, 50% dos isolados de Enteroccus sp. eram resistentes a vancomicina e dos gram‐negativos 33% eram resistentes a meropenem.

Discussão/conclusão: A porcentagem de doadores de órgãos com bacteremia é relevante, com participação importante de bactérias multirresistentes, em especial entre gram‐negativos. Em função das consequências potencias para os receptores, um programa nacional para coleta sistemática de hemoculturas e tratamento adequado de receptores baseado nos resultados obtidos é necessário.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools