Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
PI 029
Open Access
DINÂMICA DE ANTICORPOS IGG ANTI-SARS-COV-2 NA CIDADE DE BELÉM, CAPITAL DO ESTADO DO PARÁ
Visits
...
Maria Karoliny da Silva Torres, Felipe Teixeira Lopes, Aline Cecy Rocha de Lima, Carlos Neandro Cordeiro Lima, Renata Santos de Sousa, Jayanne Lilian Carvalho Gomes, Ana Carolina Alves Correa, Leonardo Gabriel Campelo Pinto de Figueiredo, Keise Adriele Santos Pereira, Wandrey Roberto dos Santos Brito, Sandra Souza Lima, Izaura Maria Vieira Cayres Vallinoto, Antonio Carlos Rosário Vallinoto
Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil
Article information
Introdução

Com a pandemia de COVID-19 e a disseminação maçante do SARS-CoV-2 no mundo houve a necessidade de avaliar a exposição viral a nível individual e populacional.

Objetivo

Descrever a soroprevalência de anticorpos anti- SARS-CoV-2 e os aspectos epidemiológicos de risco para a exposição viral, em moradores residentes na cidade de Belém, 6 meses após a primeira onda de COVID-19.

Métodos

Foram coletadas 736 amostras, inquéritos epidemiológicos e Termos de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) devidamente assinado entre outubro de 2020 a fevereiro de 2021 de indivíduos residentes em Belém. Indivíduos vacinados ou que tiverem diagnóstico de COVID-19 foram excluídos. Foram realizadas análises sorológicas para detecção da presença de anticorpos IgG anti-SARS-CoV-2 pelo teste de ELISA (Euroimmun, Lübeck, Alemanha), seguindo as recomendações do fabricante. O programa BioEstat 5.0 foi usado na análise de prevalência e o software Minitab 14.0 para as análises de regressão logística.

Resultados

Nossos resultados indicam alta soropositividade de 39,24% na cidade de Belém. Observamos que indivíduos ≥ de 70 anos (OR = 2.02; IC 95% = 1.02-3.05; p = 0.044), com ensino médio (OR = 2.41; IC 95% = 1.08-2.16); p = 0.016), autodeclarados pardos (OR = 3.24; IC 95% = 1.23-2.35; p = 0.001) e com renda de ≤ 1 a 2 salários mínimos (OR = 2.39; IC 95% = 1.08-2.12), p = 0.017) foram mais expostos ao vírus, assim como aqueles que relataram contato com indivíduos infectados (OR = 3.45; IC 95% = 1.30-2.59; p = 0.001).

Conclusão

Nossos achamos forneceram informações importantes sobre a dinâmica de transmissão viral e os possíveis fatores de risco associados às características sociodemográficas e comportamentais da população de Belém.

Financiamento

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq, # 301869/2017-0 e #401235/2020-3).

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools