Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 130 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 130 (December 2018)
EP‐186
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.248
Open Access
DOR NEUROPÁTICA: SEQUELAS DE UMA DOENÇA ENDÊMICA NO BRASIL
Visits
...
Kleriene Vilela Gomes Souzaa,b, Leticia Rosetto da Silva Cavalcantea,b, Ana Maria Coelho Bezerra Martinsa,b
a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil
b Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), Cuiabá, MT, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 6 ‐ Horário: 13:37‐13:42 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: Dentre as diversas manifestações da hanseníase, o comprometimento dos nervos periféricos está presente em todas as formas. As reações tanto podem ser a manifestação inicial da doença como podem surgir até 10 anos após a poliquimioterapia. O questionário de dor DN4 é um sistema de graduação baseado na história clínica que aponta a preexistência de lesão e no exame físico indica se a área descrita como dolorosa tem correspondência neuroanatômica plausível. Esses dois critérios são reforçados, respectivamente, pela confirmação por exame complementar, criam‐se assim quatro níveis de certeza no diagnóstico da dor neuropática. Esse questionário é um instrumento muito usado para diagnosticar dores neuropáticas em pacientes com hanseníase, antecipar lesões irreversíveis e diminuir assim as comorbidades.

Objetivo: Elucidar a comunidade científica através deste caso sobre a proporção de sequelas de dor que a hanseníase pode provocar num paciente e a importância do correto manejo dessa comorbidade

Metodologia: Paciente feminina, 44 anos, parda, casada, trabalhadora ativa, compareceu ao “Mutirão para o tratamento de dor na hanseníase” feito no Hospital Universitário Júlio Müller em abril de 2018 e relatava ter sido diagnosticada com hanseníase multibacilar dimorfa havia seis meses, em tratamento desde então com rifampicina, dapsona e clofazimina. Relatou histórico de investigação de máculas escuras em membros superiores esquerdo havia dois anos associadas a dor em membros inferiores, fora investigada extensamente por vários médicos. Ao exame físico com aplicação do questionário DN4 paciente com sensação de queimação na região paravertebral esquerda, choque elétrico nos membros inferiores, parestesia nos pés, alfineta/agulhada na região paravertebral esquerda, adormecimento nas extremidades dos dedos das mãos e pés e na região da panturrilha, prurido nos membros superiores, mãos e dedos radiais dos membros superiores, com sensação de frio doloroso, hipoestesia a picada de agulha, acometimento dos nervos ulnar e radial cutâneo com espessamento, mediano, poplíteo, tibial e auricular posterior, escore DN4 9/10.

Discussão/conclusão: Devido à endemicidade da hanseníase no Brasil e à proporção importante de sequelas neuropáticas que atingem os pacientes, muitas vezes podem ser até confundidos com recidiva de doença. Com isso, o infectologista deve ter conhecimento de diagnóstico de dor neuropática através de questionários como o DN4 e noções básicas para o tratamento desse tipo de dor.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools