Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐399
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101477
Open Access
INVESTIGAÇÃO DO VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO POR TESTE RÁPIDO MOLECULAR EM ADULTOS HOSPITALIZADOS
Visits
...
Joseane Mayara Almeida Carvalh, Klinger Faico Filho, Luiz Vinicius Leão Moreira, Ana Paula Cunha Chaves, Gabriela Rodrigues Barbosa, Danielle Dias Conte, Luciano Kleber de Souza Luna, Clarice Neves Camargo, Ana Helena Perosa, Nancy Cristina Junqueira Belle
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Ag. Financiadora: CAPES

Nr. Processo: 88887.475802/2020‐00

Introdução: O vírus sincicial respiratório (RSV) é um importante vírus causador de infecções do trato respiratório. O RSV infecta com maior frequência bebês e adultos com idade mais avançada, e causa doenças graves do sistema respiratório com necessidade de algumas hospitalizações, cuidados intensivos, e mortalidade. O diagnóstico do RSV pode ser realizado por diversos métodos, porém, identificar esse vírus através de uma detecção rápida, contribui para a redução do uso indevido de antimicrobianos e uma conduta mais apropriada do profissional de saúde em relação ao tratamento e isolamento.

Objetivo: O objectivo deste estudo foi avaliar a taxa de infecção pelo RSV com o teste rápido em amostras respiratórias de adultos com doença respiratória aguda, hospitalizados no Hospital São Paulo (HSP), com suspeita de COVID‐19.

Metodologia: A detecção molecular de RSV foi feita com o kit ID NOW RSV (Alere Scarborough/Abbott, Maine, EUA), com resultado disponível em até 15 minutos. Esse teste é baseado na tecnologia de amplificação isotérmica mediada por loop (LAMP).

Analisamos amostras de swab de nasofaringeo de 50 adultos que hospitalizados no HSP de Março até Setembro de 2020, com sintomas de infecção pelo SARS‐CoV‐2, que apresentavam dispneia ou alterações na tomografia computorizada do tórax e que tinham o resultado para COVID‐19 negativo, diagnosticados por Transcrição Reversa‐Reação em Cadeia de Polimerase (RT‐PCR).

Resultados: Os 50 pacientes incluídos no estudo tinham uma média de idade de 64 anos (variação: 24‐95), sendo 24 do sexo feminino (48%) e 26 do sexo masculino (52%). Dos 50 pacientes, 1 foi diagnosticado com RSV (2,0%). O paciente positivo é do sexo feminino, de 54 anos, com histórico de tabagismo e um tumor nos brônquios, que deu entrada no Pronto‐socorro em setembro, e após o resultado negativo para COVID‐19 foi retirada do isolamento,

Discussão/Conclusão: Durante esta primeira onda pandemica de COVID‐19, é provável que o isolamento social tenha contribuido para a baixa detecção de outros vírus respiratórios e só pudemos detectar uma paciente positiva. O teste rápido da Abbott mostrou‐se rápido e útil na triagem de amostras respiratórias, sem necessidade de estrutura laboratorial complexa, permitindo uma definição imediata da detecção ou exclusao de infecção por RSV, colaborando para as medidas de intervenção necessárias após o diagnóstico.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools