Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐384
Open Access
PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO ESTADO DA BAHIA, DURANTE 2010‐2017
Visits
...
Mariana Menezes Rocha, Bianca de Oliveira Rodrigues, Karine Rodrigues Fraga, Juliana Ribeiro Dultra
Centro Universitário UniFTC, Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A Leishmaniose Visceral (LV) é uma doença crônica, cuja letalidade pode alcançar 10% se não tratada adequadamente. Possui alta incidência, vasta distribuição, podendo apresentar formas graves e letais, quando associada a quadros de má nutrição e infecções concomitantes. Seu diagnóstico tem como base a clínica de febre, esplenomegalia, hepatomegalia e alterações hematológicas nas áreas endêmicas, sendo confirmado pela presença dos amastigotas em tecidos ou isolando promastigotas em cultura.

Objetivo: Identificar o perfil epidemiológico da LV nas macrorregiões da Bahia.

Metodologia: Trata‐se de um estudo transversal, com dados secundários coletados através do SUVISA e DATASUS, entre 2010‐2017, nas macrorregiões baianas, utilizando as variáveis sexo, faixa etária e cor/raça.

Resultados: O sexo masculino, a cor/raça parda, e a faixa etária de 01‐09 anos, foram os mais acometidos pela LV, havendo predomínio na região Leste (2010‐2013) e Centro‐Norte (2014‐2017). Os óbitos por LV foram maiores no sexo feminino e na cor/raça parda nos dois períodos, havendo, no primeiro, predomínio na região Centro‐Leste, na faixa etária de 01‐09 anos e, no segundo, predomínio no Centro‐Norte, na faixa etária de 50 e mais anos. O Coeficiente de Prevalência, nos dois períodos, foi maior em indivíduos de 01‐09 anos, do sexo feminino e região Centro‐Norte. Quanto à mortalidade, de 2010‐2017, na região Centro‐Norte predominou o sexo masculino, na faixa etária de 50 anos ou mais. Já a letalidade, de 2010‐2013, na mesma região, teve predomínio do sexo masculino na faixa‐etária dos 50 anos ou mais e, no Nordeste, na faixa etária de 10‐19 anos. De 2014‐2017, o perfil de letalidade se repetiu no Centro‐Norte, e foi maior no sexo feminino na região Sul.

Discussão/Conclusão: O estudo permitiu traçar o perfil de acometimento pela LV nas macrorregiões baianas, evidenciando a necessidade de maior controle da doença, visando identificar precocemente os casos, diminuindo sua transmissão, com o intuito final de reduzir sua morbimortalidade. Resultados de trabalhos como esse são de grande valor, por exaltar a relevância de ações voltadas para a prevenção e educação em saúde, principalmente no que tange às doenças de notificação compulsória.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools