Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 20 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 20 (December 2018)
OR‐37
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.038
Open Access
PERFIL IMUNOLÓGICO DE MEMÓRIA DE PACIENTES COM EPISÓDIOS SUCESSIVOS DE DENGUE
Visits
...
Janaína S. Machado Lacerda, Djalma A. Alves Silva, Marcos Vinícius Silva, Virmondes Rodrigues, Luciana Almeida S. Teixeira
Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: 2 ‐ Horário: 15:50‐16:00 ‐ Forma de Apresentação: Apresentação oral

Introdução: Dengue é uma doença infecciosa aguda causada pelo vírus dengue, o qual tem quatro sorotipos (DENV‐1 a 4) e cuja resposta imune protetora de memória merece investigação.

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar o padrão de citocinas produzidas por células de memória após a estimulação antigênica de PBMCs de pacientes que tiveram registro de um ou mais episódios de dengue.

Metodologia: Foram inseridos indivíduos com registro prévio de dois episódios de dengue confirmados (DENG 2 ep; n=19), indivíduos com um episódio de dengue confirmado (DENG 1 ep; n=17) e indivíduos que relataram ausência de episódio clínico de dengue (CONT; n=10). Após atendimento, foi procedida coleta de sangue e foram extraídas as células mononucleares do sangue periférico. Foi padronizada a concentração do antígeno viral para estimulação antigênica com o uso de ensaio de proliferação com CFSE. Seguiu‐se com a cultura com estímulo antigênico de DENV 1‐4 (individualmente) e posterior quantificação dos níveis das citocinas IFN‐γ, TFN‐α, IL‐2, IL‐4, IL‐5 e IL‐10 por citometria de fluxo. A resposta ao antígeno de DENV (1‐4) foi expressa por índice, divisão entre os níveis de citocinas detectados na cultura estimulada com o antígeno de DEN (1‐4) e na cultura estimulada com células vero não infectadas (índice > 1 foi considerado responsivo à estimulação antigênica). Indivíduos com produção por estímulo antigênico superior à mediana global da citocina foram considerados “bons produtores”.

Resultado: Pacientes do grupo DENG 1 ep apresentaram aumento significativo de resposta da citocina IL‐10 quando desafiados com os antígenos de DENV 2, DENV 3 e DENV 4 quando comparados com os do grupo DENG 2 ep. No grupo DENG 2 ep houve aumento significativo na produção de IFN γ e IL‐2 quando desafiados com DENV 4 quando comparado com o DENG 1 ep. Não houve diferença significativa no índice de reposta para qualquer das citocinas avaliadas ao se comparar o grupo CONT com os grupos DENG 1 ep e DENG 2 ep. Os indivíduos do grupo controle apresentaram resultados negativos para IgG e IgM. Em ambos os grupos dengue sintomas residuais atribuídos à doença foram positivamente associados a uma boa produção de IL‐10 e IFN γ quando estimulados com DENV 1 e DENV 2, respectivamente.

Discussão/conclusão: No presente estudo, o reconhecimento de produção de diferentes citocinas frente ao estímulo antigênico em PBMCs de indivíduos com antecedente de dengue mostrou‐se promissor no entendimento da resposta imune celular de memória e, por conseguinte, como referência para estudos de vacina.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools