Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 131 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 131 (December 2018)
EP‐188
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.250
Open Access
PREVALÊNCIA DE INCAPACIDADE FÍSICA EM PACIENTES PORTADORES DE HANSENÍASE SEGUNDO DADOS DO SINAN ENTRE 2012 E 2016 NO MUNICÍPIO DE FERNANDÓPOLIS
Visits
...
Amanda Bergamo Bueno, Amanda Oliva Spaziani, Bárbara Mayume de Sousa, Liliane B. Levy de Alvarega, Isadora Abrão de Souza, Raissa Silva Frota, Luis Carlos Spaziani, Flavio Henrique N.B. dos Santos, Marcio César Reino Gaggine, Patricia M. Carrinho Aurelino
Universidade Brasil, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 6 ‐ Horário: 13:51‐13:56 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: A hanseníase é uma doença infecciosa e crônica, causada pelo Mycobacterium leprae. Caracteriza‐se pelo acometimento dermatoneurológico e, apesar de curável, representa um grave problema para a saúde pública, devido ao seu poder incapacitante.

Objetivo: Identificar o grau de incapacidades nos pacientes portadores de hanseníase do município de Fernandópolis, SP.

Metodologia: Estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo, feito com informações colhidas no banco de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) após submissão e aprovação pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Brasil (CAAE: 84169817.5.0000.5494).

Resultado: Foram notificados 208 casos, de 2012 a 2016, predominou o sexo feminino (55,76%); etnia branca (72,11%); faixa de 43 a 60 anos (40,38%); grau de escolaridade prevaleceu ensino médio completo 55 (26,44%); residentes em Zona Urbana 206 (99,03%); forma multibacilar 170 (81,73%). No diagnóstico, a avaliação do grau de incapacidade física observou que 98 (47,11%) eram grau I, portanto o mais prevalente. A forma clínica dimorfa teve um maior número de portadores, 155 (74,51%). Na avaliação do esquema terapêutico notou‐se a predominância da PQT/MB/12 doses com 169 (81,25%). O tratamento aumentou a proporção de indivíduos com grau zero de incapacidade, elevou‐se de 40,86% para 49,72%.

Discussão/conclusão: A pesquisa foi de suma importância por possibilitar a caracterização do comportamento do quadro de hanseníase no município de Fernandópolis. Com base nos achados, será permitido adotar ações voltadas a identificação rápida dos possíveis fatores de risco a que está exposta a população. Assim consignado, ações de tratamento poderão ser rapidamente tomadas. Além disso, os profissionais da saúde, ao tomar contato com os possíveis problemas que poderão advir, tenderão a tomar atitudes proativas e tomarão como medidas corretivas campanhas socioeducativas para minimizar a incidência da doença.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools