Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐369
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101447
Open Access
PROFILAXIA COM FLUCONAZOL EM PRÉ‐TERMOS EXTREMOS COLONIZADOS POR CANDIDA E SUA ASSOCIAÇÃO COM CANDIDEMIA INVASIVA
Visits
...
Patricia Santana Ribeiro, Kelly Cristina Barzan Yabunaka, Alexandre Martins Portelinha Filho, Giovana Pelizzari, Rogério Giuffrida, Daniela Vanessa Moris
Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), Presidente Prudente, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A incidência de candidemia nas unidades neonatais vem aumentando nas últimas décadas com elevada morbidade e mortalidade, tornando necessário novos diagnósticos e tratamentos. Na tentativa de reduzir casos de candidemia invasiva, a profilaxia com fluconazol em recém‐nascidos prematuros vem sendo muito discutida nos dias atuais.

Objetivo: Avaliar o uso do fluconazol profilático em recém nascidos de extremo baixo peso (RNEBP) com cultura de vigilância positiva para Candida e sua associação com candidemia invasiva, seus aspectos epidemiológicos, clínicos e terapêuticos.

Metodologia: Foi realizado um estudo retrospectivo, com análise de prontuário eletrônico, no período de janeiro de 2014 a maio de 2019 em 46 RNEBP (inferior ou igual a 1000g) de um Hospital do interior de São Paulo. Os dados analisados foram culturas de vigilância para Candida, o uso de fluconazol profilático (conforme protocolo da unidade) e sua associação com mortalidade, morbidade, incidência de candidemia invasiva, aspectos epidemiológicos, clínicos e terapêuticos.

Resultados: A análise bivariada dos fatores de risco ‐ cefalosporinas de terceira geração, antibióticos de terceira geração e o uso de bloqueador de histamina ‐ foram associados ao desenvolvimento de candidemia. Do grupo que recebeu fluconazol profilático, três recém‐nascidos evoluíram com candidemia confirmada e sete evoluíram para candidemia presumida. Não houve candidemia em neonatos não colonizados. O uso profilático de fluconazol não diminuiu mortalidade nos neonatos. A prevalência de candidemia no período foi de 6,5%.

Discussão/Conclusão: A administração profilática de fluconazol para recém‐nascidos não evidenciou redução da mortalidade, aumentou o uso de Anfotericina B Desoxicolato por candidemia presumida e não reduziu incidência de candidemia invasiva na população estudada. Bloqueadores de Histamina, corticóide pós‐natal e antibióticos de amplo espectro foram fortemente associados à candidíase invasiva.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools