Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 41 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 41 (December 2018)
EP‐015
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.077
Open Access
AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE DA DENGUE EM DIFERENTES GRUPOS ETÁRIOS
Visits
...
Bruna Inacio Boaretti, Alice Tobal Verro, Natal Santos da Silva
União das Faculdades dos Grandes Lagos (Unilago), São José do Rio Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Data: 18/10/2018 ‐ Sala: TV 4 ‐ Horário: 10:44‐10:49 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: A dengue é a principal arbovirose do mundo em termos de morbidade, mortalidade e implicações clínicas. Estima‐se que mais de 50% da população mundial esteja vivendo em risco de infecção atualmente. O entendimento dos principais fatores de riscos envolvidos na ocorrência de formas graves da infecção pelo DENV é de peculiar interesse, dada à importância epidemiológica da doença.

Objetivo: Avaliar a associação entre sinais e sintomas da dengue com a sua classificação de gravidade (OMS 2009) em diferentes grupos etários.

Metodologia: A ampla e variada amostra usada foi composta por dados retrospectivos notificados pela Secretaria Municipal de Saúde de uma região endêmica para a dengue. Os grupos foram dividos em: 0‐15 anos (n=3.422), 15‐60 anos (n=23.386) e ≥ 60 anos (n=3.813). O teste do qui‐quadrado e o teste exato de Fisher foram usados para avaliar a associação entre os sinais e sintomas e a gravidade da dengue. O teste V de Cramer mediu o grau dessa associação.

Resultados: Variavéis epidemiológicas, como local de residência para as três faixas etárias (0‐15: p=1,000; 15‐60: p=0,250; ≥ 60 anos: p=0,491), e sexo, etnia e escolaridade para os extremos de idade não apresentaram associação com a gravidade da dengue. Já manifestações como ascite (0‐15: V de Cramer=0,599; 15‐60: V de Cramer=0,756; ≥ 60 anos: V de Cramer=0,710), extravasamento plasmático (0‐15: V de Cramer=0,494; 15‐60: V de Cramer=0,731; ≥ 60 anos: V de Cramer=0,653) e sangramento gastrointestinal (0‐15: V de Cramer=0,705; 15‐60: V de Cramer=0,544; ≥ 60 anos: V de Cramer=0,924) apresentaram maior grau de associação com a gravidade em todas as faixas etárias. Entretanto, houve variação desse grau nas diferentes idades, sangramento gastrointestinal em idoso foi a única variável com grau e concordância excelentes.

Discussão/conclusão: Embora haja uma concordância entre os sinais e sintomas que levaram à dengue grave nos diferentes grupos etários, como sugere a vasta literatura sobre o tema, o grau de associação entre eles variou. Sugere assim que os mesmos sinais e sintomas podem estar mais ou menos associados com a gravidade da dengue a depender da faixa etária.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools