Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐210
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101288
Open Access
HIV NO INTERESSE DA REUMATOLOGIA
Visits
...
Marcos Kobren Zanardini, Lucas Kobren Zanardini, Francisco Ernesto Zanardini
Article information
Full Text

Introdução: Em 1981 a síndrome da imunodeficiência adquirida foi descrita, e a partir de então se identifica várias formas de manifestação desta, que se caracteriza por comprometimento progressivo da resposta imunológica como consequência da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana. O interesse da investigação de manifestações reumatológicas na SIDA se dá pelo aparecimento destas manifestações em imunodeficientes, quando havia o consenso de que tais manifestações seriam atribuídas a hiperfunção do sistema imune, onde este conceito deverá ser reduzido ao termo “disfunção deste sistema”. Há uma gama de manifestações reumatológicas na SIDA como artrites infecciosas, espondiloartropatias, artrites associadas á SIDA, poliartrite simétrica aguda, necrose avascular, polimiosite, síndrome de Sjögren e manifestações de autoímunidade. Portanto devem ser consideradas como sinal de alerta, podendo ser a primeira manifestação clínica pelo HIV.

Objetivo: Instrumentalizar os critérios de identificação de manifestações da Síndrome da imunodeficiência adquirida, a partir de achados reumatológicos

Metodologia: O presente estudo se fêz a partir de uma revisão bibliográfica, de estudos primários sobre as manifestações reumatológicas na SIDA, com buscas automáticas em bibliotecas digitais por palavras‐chave.

Resultados: Após análise de artigos, observa‐se que a terapia anti‐retroviral mudou o curso de infecção pelo HIV e o espectro das manifestações reumatológicas, o que leva a obter critérios diagnósticos da SIDA associados a doenças reumáticas

Discussão: A associação de manifestações reumatológicas e SIDA justifica a colocar no diagnóstico deferencial para estas manifestações, com especial atenção a Artrite Reativa com achados de até 25% serem HIV+ e na Fibromialgia com 11%. Portanto a etiopatogenia da hiperfunção do sistema imune passam a ser percebidos como disfunção deste, dado ao desequilíbrio da imunossupressão e hiperatividade.

Conclusão: Sabidamente temos que 72% dos pacientes com SIDA apresentam alguma queixa musculoesquelética em algum momento de sua doença. As associações entre estas condições leva estruturar critérios diagnósticos pois as manifestações reumáticas podem preceder a da infecção pelo HIV.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools