Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 142 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 142 (December 2018)
EP‐208
Open Access
MICOBACTERIOSE ATÍPICA: MENINGOENCEFALITE, ABSCESSOS SUBCUTÂNEOS E MUSCULARES EM PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA ADRENAL
Visits
...
Jamili Zanon Bonicenha, Amanda Hirschfeld Romão Vieira, Magda de Souza da Conceição, Felipe Andrade Magalhães, Bruno Rubinstein, Tatiana Soares Spritzer, Marcelo Ibiapina Oliveira, Ademildes Pereira Navarini
Hospital Federal da Lagoa, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 9 ‐ Horário: 13:51‐13:56 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: As infecções causadas por micobactérias de crescimento rápido (MCR) potencialmente patogênicas constituem um agravo emergente que envolve a identificação diagnóstica, a clínica e o tratamento dos pacientes acometidos. Pertencem ao grupo de micobactérias não tuberculosas (MNT), também chamadas de atípicas. Dentre as MCRs, o Mycobacterium fortuitum destaca‐se por causar lesões de pele e linfonodos. Meningoencefalite e manifestações oftalmológicas são incomuns relacionadas a esse tipo de germe.

Objetivo: Descrever uma apresentação atípica de uma MCR, que faz parte do diagnóstico diferencial de lesões ulceradas necróticas de pele em paciente imunossuprimidos, com meningoencefalite e acometimento oftalmológico, pouco relatadas nas apresentações do M. fortuitum.

Metodologia: Paciente masculino, 37 anos, previamente hígido, procurou atendimento ambulatorial com queixa de cefaleia. Relatou aplicações subcutâneas e musculares de óleo mineral com fins estéticos e uso irregular de corticoide havia cerca de 10 anos. Fundoscopia apresentou lesões sub‐retinianas compatíveis com tuberculose. Tomografia de crânio com contraste sem alterações significativas. Análise do líquor com 330 células, 60% mononucleares, 239mg/dl proteínas, 49mg/dl glicose, tinta da China negativo, bacterioscopia negativa. PCR para tuberculose no líquor negativa. Iniciado tratamento com esquema Ripe. Durante internação, apresenta lesões ulceradas recoberta com necrose no braço esquerdo (local com infiltração de óleo), com necessidade de desbridamento. A cultura inicial do tecido desbridado foi compatível com micobatéria de crescimento rápido. Retirado esquema para tuberculose e introduzidos antimicrobianos específicos para micobacteriose não tuberculosa. Após resultado do teste de sensibilidade aos antimicrobianos, o tratamento para M. fortuitum foi instituído com três drogas antimicrobianas, com a um medicamento por via intravenosa, necessariamente. Em 22 semanas houve resolução da meningoencefalite e abordagens cirúrgicas para drenagem de abscessos subcutâneos e musculares. Também tratou artrite séptica do joelho direito. Recebeu alta com doxiciclina e ciprofloxacino, prednisona 20mg/dia em desmame e encaminhamento à infectologia e endocrinologia.

Discussão/conclusão: O diagnóstico diferencial de lesões cutâneas secundárias a inóculos para fins estéticos é um desafio, inclui entre eles o de micobacterioses não tuberculosas. O M. fortuitum representa uma espécie com manifestação cutânea, porém raramente em sistema nervoso central.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools