Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
PI 278
Open Access
PREVALÊNCIA DA INFECÇÃO PELO HTLV-1/2 EM TRÊS MUNICÍPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM-PA
Visits
...
Felipe Teixeira Lopes, Bruno José Sarmento Botelho, Bernardo Cintra dos Santos, Ana Carolina Alves Correa, Jayanne Lilian Carvalho Gomes, Vanessa de Oliveira Freitas, Matheus Felipe Pereira de Almeida, Mariana Cayres Vallinoto, Janete Silvana Souza Gonçalves, Erlayne Silvana Santiago Cavalcante, Aline Cecy Rocha de Lima, Carlos Neandro Cordeiro de Lima, Isabella Nogueira Abreu, Maria Karoliny da Silva Torres, Rosimar N. Martins Feitosa, Andrea Nazaré Monteiro Rangel da Silva, Luiz Fernando A. Machado, Izaura M.V. Cayres Vallinoto, Antonio Carlos R. Vallinoto
Laboratório de Virologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, PA, Brasil
Article information
Introdução/Objetivo

O HTLV-1/2 é um retrovírus que causa uma infecção silenciosa e persistente, estando também associados a desordens neurológicas (Paraparesia Espástica Tropical/Mielopatia Associada ao HTLV-1) e linfoproliferativas (leucemia/linfoma de células T do adulto). Estima-se que entre 800 mil a 2,5 milhões de pessoas estejam infectadas pelo HTLV no Brasil, enquanto no Pará, estudos demonstram elevada prevalência do vírus em diferentes grupos populacionais, como de doadores de sangue e profissionais do sexo; porém, a real situação epidemiologica no vírus na região metropolitana de Belém segue negligenciada. Diante disso, o presente estudo investigou a prevalência da infecção pelos HTLV-1/2 na região metropolitana de Belém, Pará, Brasil.

Métodos

O rastreio da infecção foi realizado em um total de 289 indivíduos, coletados em diferentes localidades das cidades de Ananindeua (n = 223), Marituba (n = 64) e Benevides (n = 2). Foi utilizado o ensaio imunoenzimático do tipo ELISA (Murex HTLV-I+II, DiaSorin, Dartford, UK), como estratégia de triagem. Após análise sorológica, as amostras que obtiveram resultado reagente, foram submetidas aos ensaios de Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real (qPCR) e o Imunoensaio em Linha (INNO-LIA® HTLV I/II Score, Fujirebio, Japão) para a confirmação da infecção e diferenciação do tipo viral.

Resultados

Dos 223 indivíduos analisados, 181 (62,63%) pertenciam ao sexo feminino e 108 (37,37%) do sexo masculino, com média de idade de 39 anos. Foi identificado 1 (0,35%) caso de infecção por HTLV-1 em um indivíduo do sexo feminino, com idade de 54 anos, residente do município de Ananindeua, que no inquérito epidemiológico relatou ter múltiplos parceiros e já ter praticado sexo em troca de dinheiro.

Conclusão

A partir dos dados obtidos pode-se inferir que o HTLV circula na área metropolitana da capital Belém, em uma frequência moderada apesar do baixo quantitativo de amostras coletadas, o que reforça a necessidade de ampliação da investigação da real prevalência do vírus nesta área geográfica.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools